Ir para o conteúdo principal Pular para pesquisar

Terapia Ocupacional

Terapia Ocupacional

O Terapeuta Ocupacional que trata crianças e adolescentes visa habilitar e reabilitar os componentes motores, cognitivos, sensoriais e psicossociais, para obter sucesso na execução de suas atividades de vida diária, escolares ou de lazer. O brincar é considerado ocupação de fundamental importância na infância, por permitir que a criança explore o mundo e vivencie novas experiências. Contribui na construção da personalidade e promove aprendizagem significativa para o desempenho ocupacional. As intervenções terapêuticas no universo do desenvolvimento infantil estão intimamente ligadas aos processos de jogos, brincadeiras, descobrimentos e construções da pessoa em formação.

O Terapeuta Ocupacional que trata crianças e adolescentes visa habilitar e reabilitar os componentes motores, cognitivos, sensoriais e psicossociais, para obter sucesso na execução de suas atividades de vida diária, escolares ou de lazer. O brincar é considerado ocupação de fundamental importância na infância, por permitir que a criança explore o mundo e vivencie novas experiências. Contribui na construção da personalidade e promove aprendizagem significativa para o desempenho ocupacional.

As intervenções terapêuticas no universo do desenvolvimento infantil estão intimamente ligadas aos processos de jogos, brincadeiras, descobrimentos e construções do sujeito em formação. Imagine uma tarefa comum do dia-a-dia, uma simples como ligar para alguém, abrir uma porta ou se alimentar, algo importante, mas que por algum motivo não consegue desempenhar sozinho, devido a uma disfunção motora ou por algum transtorno neurológico. Seja qual for o motivo em que haja dificuldade em realizar uma Atividade de Vida Diária (AVD) é fundamental a intervenção do Terapeuta Ocupacional.

A Terapia Ocupacional se utiliza da atividade humana como recurso terapêutico em suas intervenções, visando aquisição e aprimoramento da funcionalidade do indivíduo a fins de prevenir, tratar ou amenizar alterações psicomotoras e cognitivas, decorrentes ou não de distúrbios genéticos, traumáticos ou de doenças adquiridas, atuando com a finalidade de dar autonomia e independência nas atividades do cotidiano.

O Terapeuta Ocupacional facilita o brincar por meio de adaptações na tarefa e/ou nos brinquedos, por meio da sensibilização da família para a importância que o brincar tem na infância, e através das orientações para promover o brincar em todos os espaços pertinentes no cotidiano da criança, devendo assim estimular o prazer proporcionado pelo brincar combinado com a melhora da capacidade de agir, resultando na autonomia e no sentimento de bem estar para a criança.

Terapia Ocupacional pelo Conceito Neuroevolutivo Bobath
Aprendemos a nos mover pela experimentação de como o movimento se parece, ou seja, aprendemos através da sensação dos movimentos, e o terapeuta ocupacional que atua pelo Conceito Neuroevolutivo Bobath realiza a facilitação do movimento normal e incentiva o aumento da habilidade da criança em mover-se funcionalmente de maneira coordenada. É uma abordagem que pode ser utilizada para a solução de problemas, avaliação e tratamento de indivíduos com distúrbios motores, funcionais e de controle postural devido a lesões do Sistema Nervoso Central (SNC). Uma das principais contribuições do Conceito foi a comprovação que o SNC é capaz de aprender e responder a estímulos inibitórios dos padrões de movimento anormais que interferem na movimentação normal.
O Conceito tem como objetivo preparar o paciente para executar atividades funcionais tornando-o mais independente possível de acordo com suas potencialidades. Nele o paciente recebe experiência sensório-motora de movimentos básicos do rolar, sentar, engatinhar e andar, entre outros, que pela repetição e integração em suas atividades de vida diária geram o aprendizado motor e, posteriormente, generalização da ação.
Os déficits de movimento da criança limitam o potencial de entrar espontaneamente em brincadeiras ativas e de se engajar na atividade para seu prazer sensório-motor, então, durante o processo de reabilitação, a capacidade da criança em usar as habilidades que estão sendo facilitadas vai depender da condição do Sistema Nervoso Central (SNC) em adaptar-se a essas mudanças, incluindo a capacidade perceptiva e cognitiva do indivíduo em usar as habilidades em um contexto.
Sendo assim, a partir da identificação do que é necessário para a função através da análise da atividade e o que a criança apresenta de déficit nos multissistemas, o terapeuta ocupacional pelo Conceito Neuroevolutivo Bobath deverá, além de oferecer uma atividade apropriada, realizar manuseios efetivos para viabilizar a aquisição de uma determinada função de maneira mais normal possível e realizar adaptações, tanto em objetos como em ambientes, favorecendo a execução da função com o mínimo de compensações que, futuramente, poderiam causar encurtamentos e/ou deformidades e a diminuição da qualidade de vida da criança.

Tem dúvidas? Entre em contato!

Clique no botão abaixo, e preencha o formulário a seguir.
Em breve retornaremos sua mensagem!

Ajuda via Whatsapp
Enviar via WhatsApp